As Lições do Amor, Lorraine Heath | Opinião Livros


Autora vencedora do Prémio RITA para Melhor Romance

Sinopse:
Lady Grace Mabry tem tudo o que uma donzela debutante pode desejar: é bonita, inteligente, vem de boas famílias e possui um dote bastante valioso. No entanto, Grace desconfia dos inúmeros pretendentes que a cortejam, pois acredita que muitos estão apenas interessados na sua riqueza.
Para a ajudar a perceber se os interesses dos seus apaixonados são genuínos, Grace procura o seu amigo de infância, o Duque de Lovingdon. Sem qualquer fé no amor desde que perdeu a família, Lovingdon vive uma vida de libertinagem e prazer. Conhecedor dos jogos e estratagemas para conseguir a atenção de uma mulher, Lovingdon só tem de ensinar a inocente Grace a diferenciar as emoções falsas das verdadeiras.
Mas mal as lições começam, Lovingdon depara-se com um jogo demasiado perigoso, que parece não conseguir controlar...
Conseguirá o Duque abrir o seu coração inteiramente ou irá perder aquela que descobriu que ama?




A História:

Hoje venho falar de um livro de romance histórico que achei maravilhoso e às vezes é mais difícil falar de algo que adoramos do que de algo que não gostamos assim tanto. Este livro, As Lições do Amor traz-nos a história de amor entre o Duque Lovingdon e Lady Grace, dois amigos de infância distantes durante períodos conturbados das suas vidas e que se reencontram devido à determinação inabalável de Grace em trazer Lovingdon de novo para a sua vida.

Grace procura Lovingdon para que este a ajude a reconhecer o amor. Estamos em plena temporada londrina e a jovem Grace é o grande furor da temporada, rodeada por inúmeros pretendentes e pela inveja das outras jovens casadoiras. Grace é linda, inteligente e filha de um Duque, mas o principal atrativo para os seus pretendentes é o seu volumoso dote, tendo plena consciência desse facto, Grace vai a horas impróprias da noite a casa de Lovingdon para pedir que este a ajude a encontrar um pretendente que a ame a ela e não ao seu dinheiro. Relutantemente, Lovingdon lá acabará por a ir ajudando, e mesmo que ele não seja mais o mesmo, Grace irá e algum modo ajudá-lo a colar o cacos do seu coração um a um.



As Personagens:

Grace Mabry

Deborah Ann Woll

Principais características físicas:
Cor do cabelo: Ruivo
Cor dos olhos: Azuis
Estatura física: Alta e magra

De longe uma das personagens mais fascinantes que já encontrei num romance histórico. Grace não é perfeita e são as suas imperfeições que a tornam tão fascinante. Fruto de uma bela história de amor impossível entre o Duque de Greystone e Farnnie, um mulher criada nas ruas e treinada na arte de enganar, mas essa é uma história que é narrada por Lorraine Heath noutro livro não aqui. Grace parece ter herdado o romantismo do pai e a coragem e raciocínio rápido da mãe. Crescendo sob a alçada da relação maravilhosa entre os pais, Grace ambiciona para si própria um amor igual, a sua dificuldade em encontrar um marido que ame e a ame de volta antes que o pai perca a visão totalmente e não a possa conduzir pelo altar da igreja leva-a a buscar ajuda e quem melhor que a sua paixão de infância, o agora devasso Duque de Lovingdon.

Esta bela ruiva de olhos azuis sabe o que quer e luta por isso, uma mulher corajosa e determinada com uma base familiar bastante sólida, mas que sempre sofreu com uma certa falta da autoestima, ainda mais agora depois de sofrer um grave problema de saúde que lhe deixou mazelas tanto físicas como psicológicas.

Não quero incorrer em spoillers, mas Lorraine Heath abordou um tema bastante tabu naquela época e por demais atual nos tempos que correm, um tema que provavelmente muito poucos esperavam encontrar neste tipo de obras. Estamos perante uma grande autora que certamente me conquistou com as suas personagens fascinantes e incrivelmente reais, sendo Grace o melhor exemplo disso mesmo.


Henry, Duque de Lovingdon

Alex Pettyfer
Principais características físicas:
Cor do cabelo: Loiro
Cor dos olhos: Ambar
Estatura física: Alto e musculoso

Lovingdon era o arquétipo de homem perfeito, rico, bonito e sem vícios. A sua postura era de uma retidão irrepreensível até à morte da esposa e da filha para o tifo, a partir daí torna-se num canalha recluso que só se preocupa com jogos, bebida e prostitutas, afastando todas as pessoas que o amam, incluindo a sua família e amigos mais próximos. A espiral auto destrutiva de Lovingdon parece não ter fim e é apenas quando Grace torna a entrar na sua vida que encontrará alguma luz na escuridão onde se tem embrenhado cada vez mais num mar de culpa e sofrimento.

Lovingdon culpa-se desesperadamente pela morte da esposa e filha e recusa-se a amar novamente, a forte atração que ele passa a sentir por Grace, que já não é a criança que ele em tempos conheceu, irá levá-lo a um viagem turbulenta em que tenta negar desesperadamente o que sente e a evolução desses sentimentos.

Um protagonista masculino maravilhoso, apesar de um ou outro defeito, e que devido à personalidade irreverente de Grace acaba por ficar um pouco apagado na história, Lovingdon tem um grande caminho a percorrer antes de poder se entregar novamente ao amor.



Conclusões:

Quem não adora uma bela história de amor? Eu adoro! E As Lições do Amor não fogem à regra, podemos não estar perante um intrincado e complexo romance, mas a mestria de Lorraine Heath conduz-nos pelas almas perturbadas dos seus protagonistas, fazendo com que nos seja impossível não sentir uma forte empatia por eles.

Sendo um romance histórico já sabemos que o seu final é cliché e previsível, mas de algum modo não conseguimos parar de ler, ansiosos para que os nossos protagonistas tenham o seu final feliz e que todos os seus problemas se resolvam.

A Grace é uma personagem maravilhosa com toda a sua alegria e vontade de viver, Lovingdon é o seu oposto, um homem amargurado que por sua vez perdeu toda a sua alegria e vontade de viver. Apenas alguém como Grace poderia ajudar Lovingdon a encontrar-se novamente, assim como só Lovingdon poderia dar a Grace todo o amor que ela precisa.


O melhor: A personalidade corajosa e determinada de Grace.

O menos bom: Lovingdon foi daqueles protagonistas teimosos que enrolou demasiado até aceitar os seus sentimentos.

Sobre a autora:

Lorraine Heath é uma autora norte-americana, bestseller do New York Times e do USA Today, que conta com mais de 60 romances publicados.
 Quando se licenciou em Psicologia pela Universidade do Texas, Lorraine não fazia ideia de que tinha acabado de ganhar uma base valiosíssima que lhe permitiria criar e descrever personagens consideradas quase «reais».
Por essa razão, os seus livros já foram nomeados e contemplados com inúmeros prémios, entre os quais o Prémio RITA para Melhor Romance e, por duas vezes, o prémio All About Romance (AAR) para a mesma categoria.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é muito importante para mim. Sinta-se livre de expressar as suas opiniões, ideias ou simplesmente desabafos. Prometo responder sempre que possível.
Muito obrigada pela sua visita!

My Instagram